Reuters: Os danos da tempestade pioram em um mundo cada vez mais quente, aumentando a pressão para se adaptar - CARE

Reuters: Os danos da tempestade pioram em um mundo em aquecimento, aumentando a pressão para se adaptar

BARCELONA (Thomson Reuters Foundation) - Tempestades mais fortes estão atingindo as pessoas e as economias com mais força, com os pobres sofrendo as piores perdas, mostrou um índice anual de risco climático, enquanto os líderes eram instados a intensificar sua resposta aos impactos da mudança climática em uma cúpula de adaptação global na segunda-feira.

O índice de 2019, do grupo de pesquisa Germanwatch, mostrou que Moçambique e o Zimbábue foram os dois países mais atingidos por condições climáticas extremas. Ambos foram atingidos por Idai, o ciclone mais mortal e caro registrado no sudoeste do Oceano Índico.

Ainda neste fim de semana, o centro de Moçambique foi novamente atingido por outra tempestade tropical, a Eloise, que destruiu milhares de edifícios, arruinou colheitas e desalojou quase 7,000 pessoas.

Tempestades e seus efeitos - ventos fortes, chuvas intensas, inundações e deslizamentos de terra - foram a principal causa dos danos climáticos extremos em 2019, disse Germanwatch. Dos 10 países mais afetados, seis foram atingidos por ciclones tropicais.

A nação insular caribenha das Bahamas foi a terceira mais atingida, devido à devastação do furacão Dorian.

Os Estados Unidos não foram incluídos no índice de 2019 devido a problemas de dados.

Leia a história completa na Reuters