Fotos: CARE e parceiros na Polónia acolhem refugiados ucranianos - CARE

Fotos: CARE e parceiros na Polônia acolhem refugiados ucranianos

A refugiada ucraniana Marina abraça sua filha, Arina, momentos depois de passar pelo controle de fronteira para a Polônia, perto da cidade de Hrebrenne.

A refugiada ucraniana Marina abraça sua filha, Arina, momentos depois de passar pelo controle de fronteira para a Polônia, perto da cidade de Hrebrenne. Todas as fotos: Laura Noel/CARE

A refugiada ucraniana Marina abraça sua filha, Arina, momentos depois de passar pelo controle de fronteira para a Polônia, perto da cidade de Hrebrenne. Todas as fotos: Laura Noel/CARE

Mais de 4.7 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia devido à guerra. A CARE e seus parceiros estão respondendo com a tão necessária assistência em dinheiro, comida e abrigo.

Refugiados ucranianos, incluindo Valeria e seu filho Misha, cruzam a fronteira para a Polônia perto da cidade de Hrebenne. Na zona fronteiriça entre a Ucrânia e a Polônia, os refugiados que cruzam os ônibus devem passar por um posto de controle com suas bagagens.

A ucraniana Tatiana Medzatova espera no posto fronteiriço de Medyka, na Polônia, que seus dois filhos, um adulto e um adolescente, cheguem da Ucrânia. Przemysl é um ponto de passagem criado para refugiados que atravessam a pé. Tatiana tinha acabado de receber uma ligação informando que sua família estava a apenas uma hora de distância.
A refugiada ucraniana Marina compartilha um momento com seu filho, Timur, momentos depois de passar pelo controle de fronteira para a Polônia, perto da cidade de Hrebenne. Mãe e filho estavam fugindo de Pactava na Ucrânia. A CARE está trabalhando com nossos parceiros Ação Humanitária Polonesa (PAH) na fronteira e em outros lugares para fornecer alimentos, água, roupas e outras necessidades aos refugiados.
A PAH, parceira da CARE, fornece alimentos, água, roupas e outras formas de assistência, na fronteira ucraniana-polonesa em Hrebrenne. Voluntários da PAH ajudam Natalia Kzakova e sua filha, Sofia, que fugiram de Mariupol. A família Kzakova fez uma pausa para descansar e comer por alguns momentos antes de deixar a zona de fronteira com a Polônia, na segunda-feira, 11 de abril de 2022. A pequena Sofia disse: "Nossa casa foi destruída".
Tetiana Feolorrenko e seus filhos, Alina e Karina, esperam na cantina da barraca da PCPM na estação de trem Varsóvia Leste em 14 de abril, depois de fugir da Ucrânia. Tetiana lutava para conseguir passagens de trem de Varsóvia, porque na confusão na fronteira, seu passaporte não estava carimbado. Aqui, ela e seus filhos puderam descansar, comer e recarregar telefones enquanto voluntários trabalhavam para resolver o problema de transporte. A CARE e a PCPM estão em parceria para fornecer recursos e assistência em dinheiro aos refugiados que cruzaram a fronteira para a Polônia.
Um ginásio escolar, Hala Sportowa, Przy Szkole Podstawowej, serve como alojamento temporário para refugiados na própria fronteira polonesa, Hrebrenne.

Um ginásio escolar, Hala Sportowa, Lubycza Królewska, serve como alojamento temporário para refugiados na cidade fronteiriça polonesa, Hrebenne.

A refugiada ucraniana Nadja Deerandriva e seu gato, Benjamin, estão residindo temporariamente na Casa Ucraniana na cidade fronteiriça polonesa Przemysl depois de fugir de seu país.
Varvara escova o cabelo de sua mãe, Svitlana Dovgan, enquanto seus irmãos mais novos passam o tempo de várias maneiras na Casa Ucraniana.
desenhos de crianças refugiadas ucranianas que foram exibidos informalmente em uma estação de artes e artesanato em um ginásio escolar convertido

Alguns dos muitos desenhos de crianças refugiadas ucranianas que foram exibidos informalmente em uma estação de artes e artesanato em um ginásio escolar convertido, Hala Sportowa, Lubycza Królewska.

Obra de uma criança exibida em um ginásio escolar convertido, Hala Sportowa, Lubycza Królewska. Este ginásio serve como alojamento temporário para refugiados na cidade fronteiriça polonesa, Hrebenne.
Os primos Mia Taranenko e Margharita Tsimbaleij jogam bola com um balão que encontraram enquanto esperavam com outros refugiados na estação de trem de Przemysl na terça-feira, 12 de abril de 2022. Esta estação de trem, localizada na cidade grande mais próxima da fronteira polonesa, é um ponto de encontro para muitos refugiados e organizações sem fins lucrativos que fornecem suprimentos básicos e carregamento de internet/celular enquanto as pessoas esperam. A maioria dos refugiados está em trânsito para outro local.
A presidente e CEO da CARE, Michelle Nunn (à esquerda) e Deepmala Mala, vice-presidente da CARE para Assuntos Humanitários, confortam Liudmyla Staston, uma professora ucraniana, que acabou de receber a certificação na Polônia para ensinar as crianças refugiadas

A presidente e CEO da CARE, Michelle Nunn (à esquerda) e Deepmala Mahla, vice-presidente da CARE para Assuntos Humanitários, confortam Liudmyla Staston, uma professora ucraniana, que acabou de receber a certificação na Polônia para ensinar as crianças refugiadas, que inundaram os sistemas escolares do país vizinho. A CARE está em parceria com o grupo humanitário PCPM. Liudmyla Staston fugiu da Ucrânia com sua filha de 13 anos, mas também sente falta das crianças da escola que ela ensinou na Ucrânia. Fotografado na quinta-feira, 14 de abril, no Palácio da Cultura e Ciência em Varsóvia, Polônia.

A refugiada ucraniana Marina abraça sua filha, Arina, momentos depois de passar pelo controle de fronteira para a Polônia, perto da cidade de Hrebrenne.

A refugiada ucraniana Marina abraça sua filha, Arina, momentos depois de passar pelo controle de fronteira para a Polônia, perto da cidade de Hrebenne. Mãe e filha estavam fugindo da região de Sumy, no noroeste da Ucrânia. A CARE está trabalhando com nossos parceiros Ação Humanitária Polonesa (PAH) na fronteira e em outros lugares para fornecer alimentos, água, roupas e outras necessidades aos refugiados.

 

Todas as fotos: Laura Noel / CARE