Surto de cólera na Síria representa mais risco para a população deslocada - CARE

Surto de cólera na Síria representa mais risco para a população deslocada

(Amã, Jordânia – 16 de setembro de 2022)

Milhões de sírios correm o risco de contrair cólera, alerta a CARE International. Segundo o Ministério da Saúde da Síria, 8 pessoas morreram e 900 casos suspeitos foram relatados em pelo menos cinco das 14 províncias do país nas últimas três semanas. A cólera, uma doença infecciosa aguda, é transmitida pela ingestão de alimentos contaminados e água potável. Se não for tratada, pode rapidamente ser fatal.

“Precisamos urgentemente de ação imediata se quisermos virar a maré contra a cólera”, diz Nirvana Shawky, Diretor Regional da CARE MENA.

O surto foi declarado em várias áreas, incluindo o Nordeste, lar de milhões de deslocados que fugiram do conflito.

A CARE apoia a população com acesso a água potável e serviços de higiene e saneamento em diferentes partes da Síria. Isso inclui abastecimento de água e serviços de emergência em acampamentos para pessoas recém-deslocadas. A CARE também trabalha em conjunto com as comunidades para encontrar soluções econômicas e de longo prazo através da reabilitação, ampliação ou reparação de sistemas de abastecimento de água e infraestrutura e instalações de saneamento. 

“Depois de mais de uma década de conflito, estamos testemunhando hoje um grande surto de cólera na Síria, aumentando a vulnerabilidade da população que já sofre com conflitos, crises econômicas e outros desafios complexos”, disse Jolien Veldwijk, Diretor da CARE na Síria.

“Somente no nordeste da Síria, 4 pessoas já morreram e mais de 700 foram infectadas desde o início do surto no início deste mês”, acrescentou Jolien Veldwijk, explicando que “cerca de 70% das pessoas no nordeste da Síria dependem de fontes de água inseguras e têm condições de higiene e saneamento muito precárias. O risco de transmissão rápida e ampla da doença é muito alto e representa uma séria ameaça para o povo sírio”.

A partir deste dia, a província de Deir-ez-Zor é particularmente afetada pelo surto, pois 95% dos casos no nordeste da Síria são registrados lá. As pessoas deslocadas precisam urgentemente de água potável, saneamento e suprimentos de higiene. Em Hasakah, também são relatados casos confirmados e espera-se que a doença se espalhe mais rapidamente.

Não há casos relatados no noroeste da Síria. No entanto, Sherine Ibrahim, Diretora Nacional da CARE Turquia, soou o alarme. “Estamos preocupados porque o contexto da área é propício para uma disseminação em massa da cólera. Os acampamentos já estão superlotados e a maioria hospeda mulheres e crianças, que já lutam para ter acesso à água potável. O tratamento da qualidade da água, por meio do aumento da dosagem de cloração dos sistemas de abastecimento de água e o gerenciamento adequado do esgoto, são nossa melhor chance de impedir a propagação. Igualmente crítico é aumentar a lavagem das mãos e a promoção da higiene.”

Mahmoud, 27 anos, participante do programa CARE, disse-nos: “Gostaria de poder impedir os meus filhos de saírem de casa, porque tenho medo de que caiam nos esgotos a céu aberto e contraiam a doença. Estamos com medo, porque se alguém estiver infectado com cólera, ela se espalhará rapidamente e não temos meios de proteção”, disse.

“A CARE estabeleceu ações prioritárias imediatas e orientações para parceiros, incluindo informações de mensagens, material de educação e comunicação, bem como atividades de resposta imediata”, observou Sherine Ibrahim.

A CARE Síria desenvolveu um plano de resposta de três meses para fornecer intervenções preventivas de emergência e sustentáveis ​​de Água, Saneamento e Higiene. Essas intervenções incluem cloração de fontes de água críticas, fornecimento de kits de resposta à cólera, desinfecção de pontos de abastecimento de água e disseminação de mensagens críticas de saúde pública.

Para mais informações por favor entre em contato:

Anisa Husain
Assessoria de imprensa da CARE
Anisa.Husain@care.org