Funcionários do Congresso viajam com a CARE Malawi - CARE

Funcionários do Congresso viajam com a CARE Malawi para ver o impacto dos investimentos dos EUA no empoderamento da mulher e na saúde materno-infantil

WASHINGTON (12 de novembro de 2019) - Um grupo bipartidário de funcionários do Congresso viajou para o Malawi com a CARE para ver como os investimentos vitais dos EUA na capacitação e saúde das mulheres e jovens podem equipar famílias e comunidades com as ferramentas e recursos necessários para saírem da pobreza. A delegação incluiu funcionários da Flórida, Illinois, Nevada, Nova York, Arizona, Porto Rico e Rhode Island. Este grupo também foi acompanhado por um representante da mídia e um representante da Elizabeth Glaser Pediatric AIDS Foundation, bem como funcionários da CARE.

Malauí é um dos países menos desenvolvidos do mundo, com metade da população vivendo abaixo da linha de pobreza nacional. Nos últimos anos, o Malawi fez um progresso significativo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), incluindo a redução da mortalidade materna e infantil em 30 por cento nos últimos 15 anos e aumento significativo da taxa de matrícula de meninas na escola primária. A expectativa de vida no país continua aumentando, de apenas 46 anos em 2004 para 64 em 2018, e as projeções são de que suba para 74 até 2030.

No entanto, apesar deste progresso, a desigualdade e a falta de acesso aos serviços de saúde para mulheres e meninas continuam a inibir significativamente o desenvolvimento do Malawi; muitos desses desafios se manifestam na infância e persistem ao longo da vida adulta e maternidade para as mulheres do Malauí. A população do Malawi quadruplicou nos últimos 40 anos e o país é o lar de uma grande quantidade de jovens, com idade média de 17.5 anos. A economia do Malawi luta para acompanhar o crescimento populacional, visto que o país tem quase pouca indústria lucrativa. Mulheres e meninas que não têm meios de gerar renda são mais suscetíveis à violência e os relatórios mostram que aproximadamente 40 por cento das mulheres no Malaui sofrerão violência sexual ou física baseada no gênero ao longo da vida. Além disso, a economia do país - baseada predominantemente na agricultura - e o estado nutricional dos malauianos são altamente dependentes de chuvas cada vez mais variadas e pouco confiáveis. Consequentemente, mais de 40 por cento das crianças no Malawi são raquíticas.

O Malauí também tem uma das maiores taxas de casamento infantil do mundo - quase 1 em cada 10 meninas se casa antes de completar 15 anos e 42% se casam aos 18 anos. Meninas casadas ainda jovens são forçadas a desistir da escola, limitando para sempre seu potencial de geração de renda, contribuindo para o poder de decisão desigual e violência no lar e perpetuando o ciclo da pobreza. Um desafio importante para acabar com o casamento infantil no Malaui são as atitudes enraizadas que perpetuam a prática, bem como as altas taxas de gravidez na adolescência, que sufocam a educação das meninas e, ao mesmo tempo, colocam em risco sua saúde e a de seus filhos.

Nesta viagem de cinco dias, a delegação testemunhou como soluções simples - como fornecer espaços seguros e treinamento para meninas e mulheres adolescentes, melhorar o acesso a serviços de saúde para mulheres grávidas e crianças e ensinar aos homens como eles podem ser mais solidários - podem empoderar mulheres para escapar da pobreza e alcançar seu pleno potencial.

Durante a viagem, a delegação se reuniu com organizações parceiras, incluindo Plan International, Management Sciences for Health, Save the Children, World Vision e EngenderHealth e viu programas de saúde, educação, gênero e agricultura apoiados pelo Plano de Emergência do Presidente dos EUA para Alívio da AIDS (PEPFAR ), o Departamento de Estado dos EUA e a Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional, bem como outros doadores bilaterais. A delegação também compareceu a uma recepção organizada pela CARE e o Embaixador dos EUA no Malawi Robert Scott e se encontrou com o Ministro da Saúde e População do Malawi, Jappie Chancy Mtuwa Mhango, para aprender sobre as prioridades de saúde e desenvolvimento do governo do Malawi.

  • Os participantes da Viagem de Aprendizagem da CARE em novembro de 2019 ao Malawi incluíram:
  • Daniel Bleiberg - Conselheiro de Política Externa, Rep. Lois Frankel (D-FL-21)
  • Vitumbiko Chinoko - Coordenadora de Advocacia e Parcerias, CARE EUA
  • Annie Clark - Assistente Legislativo, Rep. Debbie Lesko (R-AZ-08)
  • Catherine Connor - Vice-presidente de políticas, Elizabeth Glaser Pediatric AIDS Foundation
  • Natalia Gandia - Assistente Legislativo, Rep. Gonzalez-Colon (R-PR-ATL)
  • Maura Gillespie - Diretora de Comunicações, Adam Kinzinger (R-IL-16)
  • Rachael Leman - Vice-presidente Associada de Advocacy, CARE USA
  • Patience Mgoli Mwale - Gerente de Aprendizagem e Advocacy, CARE Malawi
  • Erica Riordan - Assistente Legislativo, Rep. Dina Titus (D-NV-01)
  • Jo Stiles - Assistente Legislativo, Rep. Joe Morelle (D-NY-25)
  • Teresa Tomassoni - Jornalista Freelance
  • Sarah Trister - Vice-Chefe de Gabinete, Rep. David Cicilline (D-RI-1)

Para obter mais informações sobre os passeios de aprendizagem da CARE, visite: www.care.org/LearningTours.

Sobre a CARE:
Fundada em 1945 com a criação do CARE Package®, a CARE é uma organização humanitária líder no combate à pobreza global. A CARE dá ênfase especial ao trabalho ao lado de mulheres e meninas porque, equipadas com os recursos adequados, elas têm o poder de tirar famílias e comunidades inteiras da pobreza. É por isso que as mulheres e meninas estão no centro dos esforços comunitários da CARE para enfrentar a fome, garantir nutrição e segurança alimentar para todos, melhorar a educação e a saúde, criar oportunidades econômicas e responder a emergências. Em 2018, a CARE trabalhou em 95 países e alcançou mais de 56 milhões de pessoas em todo o mundo.

Contato com a mídia: 
Kamille Gardner, +1 202-459-8572, Kamille.Gardner@care.org