Mortes de mulheres grávidas destacam a gravidade do surto de COVID em Fiji - CARE

Mortes de mulheres grávidas destacam a gravidade do surto de COVID em Fiji

Fiji foi inicialmente uma história de sucesso de contenção COVID-19, evitando surtos generalizados no primeiro ano da pandemia. Em seguida, a variante Delta apareceu em abril, e agora a nação-ilha tem o maior número de infecções per capita do mundo.

Shirleen Ali, Conselheira de Gênero e Resiliência da CARE em Fiji, disse:

“Durante o mês passado, vimos uma onda de casos COVID-19 aqui em Fiji. O medo está crescendo, mas algumas pessoas ainda não estão levando o vírus a sério e estão se reunindo em grandes grupos, por exemplo, para beber kava ou álcool.

“Fiji não teve grandes surtos no ano passado, mas agora temos o maior número de casos de COVID-19 per capita do mundo. Isso destaca como o vírus mudou de países de alta renda para países de baixa renda, onde a capacidade de enfrentá-lo é muito menor.

“A morte de duas mulheres grávidas de COVID-19 esta semana mostrou o quão grave é o surto, especialmente para as mulheres. Mulheres, pessoas que vivem na pobreza, idosos, pessoas com deficiência, pessoas LGBTI + e qualquer combinação desses grupos estão sofrendo o impacto da crise COVID-19.

“As organizações parceiras da CARE Live and Learn Fiji, ADRA Fiji, Rainbow Pride Foundation e Fiji Disabled People's Federation têm fornecido alimentos e outros tipos de apoio às comunidades vulneráveis.

“Os fijianos demonstraram uma resiliência extraordinária, mas o COVID-19 é um problema global e não há muito que possamos fazer sozinhos. A comunidade internacional deve tomar medidas urgentes para garantir que este vírus não retroceda gerações de progresso em direção à igualdade, em Fiji e em todo o mundo. ”

Para maiores informações:
Rachel Kent
Rachel.Kent@care.org