Declaração do Fórum de ONGs da NWS sobre o ataque ao Hospital Al-Shifaa no noroeste da Síria - CARE

Declaração do Fórum de ONGs da NWS sobre o ataque ao Hospital Al-Shifaa no noroeste da Síria

Em 12 de junho de 2021, o Hospital Pediátrico e Maternal Al-Shifaa em Afrin, noroeste da Síria, um dos maiores centros médicos do norte da Síria, foi atingido por mísseis. O terrível ataque resultou na trágica morte de pelo menos 13 pessoas, incluindo 4 trabalhadores humanitários e no ferimento de 32 civis, incluindo mulheres, crianças e 11 trabalhadores humanitários, um dos quais está atualmente em estado crítico.

Um ataque de míssil anterior atingiu a 100 metros do hospital, enquanto os dois mísseis seguintes destruíram completamente a emergência e as salas de parto e parto. Além disso, o ambulatório sofreu danos significativos, deixando o hospital fora de serviço.

O hospital Al-Shifaa é uma unidade de saúde vital no noroeste da Síria, fornecendo uma variedade de serviços de saúde primários e secundários para a população de Afrin. Em média mensal, médicos e enfermeiras do hospital Al-Shifaa dão cerca de 15,000 consultas médicas. A sala de parto e parto da enfermaria materna, que foi gravemente danificada no ataque, dá à luz cerca de 350 recém-nascidos por mês.

Estamos arrasados ​​com a perda de nossos colegas e indignados com este ataque indiscriminado e outros ataques semelhantes que visam instalações humanitárias que fornecem serviços que salvam vidas a milhares de pessoas necessitadas, incluindo mulheres e crianças. Ainda assim, o Hospital Al-Shifaa, que é uma instalação sem conflito com o apoio de doadores internacionais e fundos da ONU, sofreu três ataques, o primeiro deles em 2019.

Ataques a civis e infraestruturas civis e os alvos de instalações médicas são violações claras do Direito Internacional Humanitário (DIH) e constituem crimes de guerra que nunca devem ser tolerados. Ações sérias devem ser tomadas para garantir que os civis e trabalhadores humanitários na Síria, e em ambientes de conflito em geral, sejam protegidos conforme descrito pela Resolução 2286 do Conselho de Segurança da ONU, adotada em maio de 2016.

Exortamos a comunidade internacional a se posicionar contra os ataques a infraestruturas civis e humanitárias no noroeste da Síria e a todas as partes no conflito a aderirem e, consequentemente, a respeitarem o mecanismo de eliminação de conflitos humanitários para garantir a proteção de civis e trabalhadores humanitários. Além disso, solicitamos que investigações imediatas e imparciais sejam conduzidas garantindo a devida atribuição ou culpa e responsabilização de todos os perpetradores.

Fórum de ONGs do noroeste da Síria