Novo relatório da CARE destaca as 10 principais crises subnotificadas em 2019 - CARE

Suffering In Silence: Novo relatório CARE destaca as 10 principais crises que receberam pouca ou nenhuma atenção da mídia em 2019

Foto: Josh Estey / CARE
Foto: Josh Estey / CARE

GENEBRA (28 de janeiro de 2020) - A crise alimentar crônica de Madagascar ocupa o primeiro lugar no relatório da CARE “Suffering In Silence”, que foi lançado mundialmente hoje. A análise da organização de ajuda internacional sobre a cobertura global da mídia online está agora em seu quarto ano e mostra uma tendência preocupante de alguns países que se repetem anualmente na lista. O continente africano acolhe nove em cada dez crises subnotificadas, que vão desde secas a deslocações, conflitos, epidemias e insegurança alimentar.

“Estamos vendo ligações crescentes entre os efeitos das mudanças climáticas causadas pelo homem e a longevidade e complexidade das crises humanitárias. De Madagascar ao Lago Chade e à Coreia do Norte, a maioria das crises classificadas em nosso relatório são em parte uma consequência do declínio dos recursos naturais, aumento de eventos climáticos extremos e aquecimento global de forma mais ampla ”, disse Sally Austin, Chefe de Operações de Emergência da CARE International.

“O aumento da atenção do público para a crise climática global é encorajador, mas devemos garantir que a conversa não se limite ao Norte Global e às transformações necessárias lá. É chocante ver o quão pouco a mídia noticia sobre o sofrimento humano relacionado ao aquecimento global no Sul, a falta de ação política para lidar com essa injustiça e soluções aplicadas para aliviar o fardo para as comunidades ”.

Com o relatório “Suffering In Silence”, a CARE desafia as instituições de mídia, organizações de ajuda e formuladores de políticas a fazerem escolhas conscientes sobre suas prioridades. Para a maioria das crises subnotificadas nesta lista dos 10 principais, a resposta humanitária também é cronicamente subfinanciada.

“Suffering In Silence 2019”: 10 principais crises subnotificadas:

  1. Madagascar - Impactado pela crise climática de origem humana, mais de 2.6 milhões de pessoas afetadas pela seca
  2. República Centro-Africana - Um conflito brutal no coração da África, cerca de 2.6 milhões de pessoas precisam desesperadamente de ajuda humanitária
  3. Zâmbia - Na frente das mudanças climáticas, estima-se que 2.3 milhões de pessoas no país precisam urgentemente de assistência alimentar
  4. Burundi - Instabilidade alimentando uma crise humanitária, 1.7 milhão de pessoas cronicamente lutam para alimentar suas famílias
  5. Eritreia - Fugindo da seca e da repressão, metade de todas as crianças menores de cinco anos atrofiou em conseqüência da desnutrição
  6. DPR Coreia - Fome atrás de portas trancadas, cerca de 10.9 milhões de pessoas precisam de assistência humanitária para atender às suas necessidades de alimentação, saúde, água, saneamento e higiene
  7. Quênia - Presas em meio a enchentes e secas, mais de 1.1 milhão de pessoas vivem sem acesso regular a alimentos
  8. Burquina Faso - Uma catástrofe humanitária silenciosa, cerca de 5.2 milhões de pessoas - mais de um quarto da população - afetadas pela escalada da violência no Sahel Central
  9. Etiópia - Um ciclo vicioso de desastre, fome e deslocamento, cerca de 7.9 milhões de pessoas sofrem de graves níveis de desnutrição, principalmente mulheres grávidas e lactantes, bebês e idosos
  10. Bacia do Lago Chade - Conflito armado, deslocamento e fome, quase 10 milhões de pessoas que precisam de ajuda humanitária

Leia o relatório completo

Contato com a mídia:

Vanessa Parra, vanessa.parra@care.org, +1 917-525-0590 (NYC)

Nota aos editores: Usando os serviços de monitoramento de mídia do Meltwater Group, a CARE analisou os desastres naturais ou conflitos que receberam a menor atenção da mídia em 2019. Mais de 2.4 milhões de fontes online globais foram monitoradas em inglês, francês, alemão, árabe e espanhol. Para filtrar de acordo com a escala, escolhemos países nos quais pelo menos um milhão de pessoas foram afetadas por desastres naturais ou provocados pelo homem, de acordo com dados do Reliefweb, ACAPS e dados da própria CARE. O resultado foi uma lista de 40 crises que foram examinadas no banco de dados da Meltwater para o período de 1º de janeiro a 15 de novembro de 2019 com palavras-chave relevantes para descrever as crises. “Suffering In Silence” classifica as dez principais crises que receberam a menor atenção da mídia, o que significa a menor quantidade de cobertura da mídia online. Esta é a quarta edição do relatório “Suffering In Silence” da CARE. Em 2019, a crise menos relatada é Madagascar, seguida pela República Centro-Africana e pela Zâmbia. Há um ano, em 2018, o Haiti estava no topo do ranking. Esta análise anual serve como um lembrete e apelo para chamar a atenção para crises esquecidas na mídia e nos debates políticos.

Sobre a CARE: Fundada em 1945 com o icônico pacote CARE, a CARE é uma organização humanitária líder que trabalha em todo o mundo para salvar vidas, derrotar a pobreza e alcançar a justiça social. A CARE coloca um foco especial no trabalho ao lado de meninas e mulheres pobres porque, equipadas com os recursos adequados, elas têm o poder de tirar famílias e comunidades inteiras da pobreza. A CARE trabalha em 100 países e alcançou mais de 68 milhões de pessoas no ano passado.