Conflito na Ucrânia: aumento dos preços dos alimentos e combustíveis ameaçam o bem-estar de milhões no leste, centro e no Chifre da África - CARE

Conflito na Ucrânia: preços crescentes de alimentos e combustíveis ameaçam o bem-estar de milhões no leste, centro e no Chifre da África

As mãos seguram sementes acima de um saco aberto de sementes.

Alana Holmberg/CARE

Alana Holmberg/CARE

(Nairóbi, 22 de março de 2022) À medida que o conflito na Ucrânia continua, a milhares de quilômetros de distância, as comunidades na África estão sentindo os efeitos em cascata. Em toda a região da África Oriental, Central e Austral, os cidadãos comuns estão experimentando os efeitos iniciais, mesmo quando os indicadores e os analistas apontam para repercussões ainda mais adversas atingindo a região nos próximos seis meses.

No Quênia, os cidadãos usaram as mídias sociais, sob a hashtag #LowerFoodPrices, para desabafar suas frustrações. Em resposta a isso, o governo voltou a indicar que o aumento do custo foi resultado do conflito. Enquanto na RDC, a inflação dos preços do petróleo, gasolina e gás levou a um aumento nos custos de transporte para pessoas e alimentos e isso ameaça os projetos em andamento da CARE se o conflito for prolongado.

A Somália está atualmente nas garras de uma seca que piora e o conflito na Ucrânia torna a situação ainda mais terrível. O preço do trigo e do petróleo já subiu 300%. Iman Abdullahi, Diretor de País da CARE Somália, disse: “Mais de 90 por cento do fornecimento de trigo na Somália vem da Rússia e da Ucrânia. Milhares de pessoas já foram deslocadas e se refugiaram em campos de deslocados internos, para conseguir comida. Com a cadeia de suprimentos interrompida, estamos preocupados com o que acontecerá quando os suprimentos atuais acabarem. Já estamos vendo um aumento no número de mulheres e crianças famintas e desnutridas que chegam às unidades de saúde fixas e equipes móveis em que estamos operando”.

Na República Democrática do Congo, que ainda é a maior crise alimentar do mundo, o conflito na Ucrânia já se faz sentir. Steve de Klerk, Diretor Interino de País da CARE RDC disse: “Estamos testemunhando um aumento dramático na inflação de preços, particularmente de petróleo e gasolina e, como resultado, transporte e alimentos. Em algumas áreas, houve um aumento de 100% no combustível, enquanto o óleo de cozinha aumentou 33% entre janeiro e meados de março de 2022. Esperamos que isso afete tanto os participantes do projeto quanto a equipe, se a situação persistir. Estamos particularmente preocupados com os vulneráveis, pois sabemos que três quartos das pessoas na RDC vivem abaixo de US$ 1.90 por dia”.

No Quênia, várias partes do país estão passando por secas e algumas comunidades dependem do transporte de alimentos para elas. O conflito na Ucrânia afetou o já alto custo do combustível, que subiu pela primeira vez em 5 meses. Maureen Miruka, Diretora Nacional da CARE Quênia, disse: “No dia 15 de março, o custo do combustível aumentou 4%. Isso já se traduziu em um aumento nos preços das commodities nas prateleiras. Também houve um aumento de 48 por cento no gás que é usado pela maioria das pessoas na cozinha. A agricultura, que emprega 40% do país, depende de fertilizantes importados da Rússia.

O Ministério da Agricultura informou que os preços já crescentes podem subir 70%, mesmo que os agricultores estejam se preparando para a época de plantio. Em um país que ainda está sofrendo com os efeitos dos bloqueios do COVID-19, as pessoas estão preocupadas com o que o futuro reserva. Como este é um ano eleitoral no Quênia, estamos preocupados com o aumento contínuo do custo de vida e os efeitos indiretos que isso terá nas comunidades em que trabalhamos.

As mulheres são as mais afetadas. Sempre que os rendimentos nos lares são impactados negativamente, sempre notamos um aumento da violência de gênero contra as mulheres. Um aumento contínuo nos custos acima terá ramificações na quantidade e qualidade dos alimentos disponíveis para as famílias – pois isso afeta mais mulheres e meninas.”

Para maiores informações:

Dorissa Branca
Assessora de Imprensa Júnior da CARE
Dorissa.white@care.org

Tagged