Promessas de ajuda humanitária não cumpridas prejudicarão mulheres iemenitas - CARE

Promessas de ajuda humanitária não cumpridas resultarão na interrupção dos serviços de saúde reprodutiva que salvam vidas para mulheres e meninas iemenitas

Foto: Holly Frew / CARE
Foto: Holly Frew / CARE

O Grupo de Trabalho Interinstitucional (IAWG) sobre Saúde Reprodutiva em Crises insta os governos a manter os investimentos prometidos em serviços de saúde reprodutiva que salvam vidas para mulheres e meninas iemenitas que vivem em ambientes humanitários.

Em fevereiro, o IAWG emitiu uma declaração encorajando os doadores a investir nestes serviços de saúde reprodutiva que salvam vidas durante o evento de doação de alto nível no Iêmen em Genebra. Até o momento, apenas metade dessas promessas foram cumpridas.

Sem o financiamento prometido, as organizações serão forçadas a fechar instalações que prestam serviços de saúde reprodutiva. Fundos insuficientes interromperão os programas de assistência humanitária e proteção dos direitos humanos para mulheres e meninas iemenitas.

“Mais de um milhão de mulheres iemenitas precisam de fundos agora, ou perderão o acesso a serviços de saúde reprodutiva que salvam vidas, colocando suas vidas e as de seus bebês em risco”, disse a Diretora Executiva do UNFPA, Dra. Natalia Kanem, em um comunicado à imprensa de 29 de agosto.

De acordo com UN, apenas três dos 34 programas humanitários no Iêmen foram financiados até o final de 2019. Vários projetos foram forçados a fechar e muitos deles foram suspensos. A menos que o financiamento seja recebido nos próximos dois meses, estima-se que 22 programas humanitários serão encerrados e mais de 19 milhões de pessoas perderão o acesso aos serviços de saúde, incluindo serviços de saúde reprodutiva.

O Iêmen é atualmente o lar do maior país operação humanitária, que envolve a prestação de serviços essenciais - incluindo serviços de saúde reprodutiva - em todo o país. Dos 14.3 milhões de iemenitas que precisam urgentemente de ajuda humanitária, há 3.5 milhões de mulheres em idade reprodutiva. Destes 3.5 milhões de mulheres com necessidade aguda de assistência, 572,000 têm probabilidade de engravidar e dar à luz em um ano. O UNFPA estima que até 85,000 dessas mulheres grávidas correm o risco de complicações graves com perigo imediato para suas vidas, a menos que tenham acesso a cuidados de saúde materna que salvam vidas.

IAWG ecoa ligações do UNFPA e a Coordenadora Humanitária da ONU no Iêmen, Lisa Grande, para que os doadores mantenham seu compromisso financeiro para garantir a disponibilidade de um conjunto básico de serviços que salvam vidas, incluindo cuidados de saúde reprodutiva, de acordo com os padrões humanitários e também com as obrigações de direitos humanos.

Não é hora de ficar em silêncio. A menos que o Iêmen receba os fundos humanitários tão necessários, milhões de vidas continuarão em risco. Este não é o momento de ficar de lado e permitir que as mulheres e meninas continuem a suportar o fardo das inseguranças multidimensionais da guerra e dos graves riscos para sua saúde reprodutiva. É hora de agir.