ícone ícone ícone ícone ícone ícone ícone

O crescimento não é suficiente

Em 2022, mais de 735 milhões de pessoas no mundo passavam fome. Isso representa 1 em cada 11 pessoas em todo o mundo. As melhorias relativas após o pior da pandemia da COVID-19 estão a mascarar a desigualdade crescente. Há mais 84.2 milhões de mulheres e raparigas do que homens e rapazes que enfrentam insegurança alimentar. A disparidade alimentar entre homens e mulheres cresceu em muitas regiões, incluindo a maior parte de África, Sudeste Asiático, Médio Oriente, América do Norte e Europa. A análise de dados da CARE de 113 países sugere que melhorar o PIB não é suficiente. Os dados mais recentes mostram que em situações de elevada desigualdade, o crescimento económico pode levar a uma maior insegurança alimentar, especialmente desde a COVID-19. Em 57 países, o PIB está a crescer E a insegurança alimentar está a aumentar. À medida que a desigualdade de género e de rendimento aumenta, também aumenta a fome.

Baixar (Inglês) Baixar (Inglês) Baixar (Inglês)

O crescimento não é suficiente (Pesquisa Técnica – Download #1): Este estudo examina como a desigualdade de género e a desigualdade económica desempenham um papel na crise global da fome contra os choques sociopolíticos, económicos e climáticos. Muito pouca investigação empírica centra-se na segurança alimentar a nível nacional e nas suas ligações com a desigualdade de género, a desigualdade económica e factores macroeconómicos significativos, como a produção agrícola e o crescimento económico. Esta investigação explora estas ligações e como a dinâmica está a mudar durante os períodos pré e pós-pandemia.

O crescimento não é suficiente (Documento Político – Download #2): Isto resume as conclusões do relatório técnico de que o crescimento económico não é suficiente para resolver a crise global da fome e baseia-se na literatura mais ampla sobre por que e onde isto está a acontecer. Através de estudos de caso de países, explora os desafios da crise global da fome e as formas de a resolver.

O crescimento não é suficiente (resumo de duas páginas – Download nº 3): Esta página de duas páginas resume a pesquisa acima.

Relatórios Relacionados

Sem mulheres, sem paz

Quando as crises surgem, as mulheres assumem a liderança, envolvendo-se na prática para enfrentar os desafios. As mulheres líderes são muitas vezes ignoradas e não apoiadas em tempos de crise, mas continuam a dar contributos consideráveis. Prestam serviços essenciais de saúde e nutrição aos mais vulneráveis. Documentam violações dos direitos humanos e trabalham para tornar as comunidades mais seguras. Eles fortalecem os seus meios de subsistência através da desenvoltura e da criatividade. A pesquisa Mulheres na Guerra da CARE mostra que as mulheres são a chave para a recuperação eficaz de crises e para a construção da paz a longo prazo. Ao remover barreiras à sua participação e amplificar o trabalho crítico que já estão a realizar, podemos dar às mulheres o reconhecimento que merecem e capacitá-las para mudar o futuro da resposta a crises. Saiba Mais

Saiba Mais

Mulheres enfrentando desafios de saúde na linha de frente

Desde 2013, a CARE tem-se concentrado na compreensão dos papéis e necessidades das mulheres durante as crises, inicialmente começando com o conflito sírio. Através de iniciativas como a Análise Rápida de Género e a Resposta das Mulheres, a CARE reuniu informações sobre como as mulheres lideram durante as crises e que tipo de apoio necessitam. Este resumo está alinhado com o último relatório da CARE, Mulheres na Guerra, que combina inquéritos, entrevistas e modelos de dados utilizando conjuntos de dados públicos para compreender as experiências das mulheres em conflitos. Saiba Mais

Saiba Mais

Sugu Yiriwa: avaliação intermediária

Preparado pela Escola de Saúde Pública e Medicina Tropical da Universidade de Tulane, este documento resume os resultados do relatório de avaliação intercalar da Actividade da Zona Delta do Feed the Future Sugu Yiriwa. Avalia a qualidade da implementação, realizações e resultados da atividade e identifica áreas a melhorar para o período restante do projeto. Saiba Mais

Saiba Mais