Terremoto no Haiti: Relatório de Progresso de Cinco Anos - CARE

Terremoto no Haiti: relatório de progresso de cinco anos

Nos últimos cinco anos, a CARE fez a transição do socorro de emergência pós-terremoto para uma programação que visa abordar as causas subjacentes da pobreza que aumentam a vulnerabilidade a desastres. Nossos esforços têm se concentrado no desenvolvimento econômico sustentável, reconstrução do tecido urbano, melhoria da educação e segurança alimentar.

Baixar (Inglês)

Introdução

Haiti é atingido pelo terremoto de magnitude 7.0 em janeiro de 2010

Em 12 de janeiro de 2010, o Haiti foi atingido por um terremoto de magnitude 7.0, devastando sua capital, Porto Príncipe, e áreas circunvizinhas. O terremoto afetou mais de 2 milhões de haitianos, ceifou mais de 200,000 vidas e deixou 300,000 feridos. No auge da crise, mais de 1.5 milhão de novos desabrigados estavam abrigados em cerca de 1,500 assentamentos espontâneos. O terremoto afetou indiretamente todo o país, fazendo com que 570,000 mil pessoas fugissem para as províncias e gerando ondas de choque na economia.

A escala e o impacto do desastre foram sem precedentes para o país caribenho, que já é o mais pobre do hemisfério ocidental. A capital deste país altamente centralizado estava em ruínas, assim como os ministérios do governo que normalmente trabalhariam com a comunidade internacional na resposta.

A magnitude da destruição resultou em uma grande demonstração de generosidade do público em todo o mundo. Imediatamente após o terremoto, a CARE lançou um apelo global e nossa equipe de resposta a emergências garantiu que suprimentos vitais para a vida chegassem aos mais necessitados.

A CARE se concentrou em cinco setores-chave de socorro: abrigo de emergência; saúde sexual e reprodutiva; água, saneamento e higiene; Educação; e segurança alimentar. Nos concentramos nas áreas fortemente afetadas de Carrefour e Léogâne, perto do epicentro do terremoto, com intervenções adicionais em áreas indiretamente afetadas. A CARE imediatamente distribuiu suprimentos de emergência, fornecendo alimentos, água potável, abrigo temporário e outros serviços para mais de 300,000 pessoas nos primeiros quatro meses. No longo prazo, estamos trabalhando para reconstruir e melhorar os meios de subsistência e ajudar os haitianos a se tornarem mais resilientes em face de desastres futuros.

O terremoto foi a emergência mais devastadora a que a CARE respondeu desde o tsunami de 2004 no Oceano Índico. Embora tenhamos alcançado muito nos cinco anos que se passaram, a tarefa de reconstrução está em andamento. A CARE continua comprometida em trabalhar com os haitianos enquanto eles se esforçam para construir um futuro melhor.

Resposta da CARE - Ajuda ao Terremoto no Haiti

Nos últimos cinco anos, a CARE fez a transição do socorro de emergência pós-terremoto para uma programação que visa abordar as causas subjacentes da pobreza que aumentam a vulnerabilidade a desastres. Nossos esforços têm se concentrado no desenvolvimento econômico sustentável, reconstrução do tecido urbano, melhoria da educação e segurança alimentar. O programa de abrigo transitório da CARE priorizou mulheres chefes de família, como Gellia Voltaire, 63. Cada família participou da construção de seu próprio abrigo recrutando cinco voluntárias. A CARE forneceu materiais e dois carpinteiros treinados. As estruturas são projetadas como módulos que podem ser expandidos e integrados em residências permanentes.

Trabalhando juntos, a comunidade internacional, grupos locais e o governo haitiano ajudaram mais de 1.45 milhão de pessoas a retornar do deslocamento e, a cada dia, mais pessoas estão mudando para moradias mais seguras. A CARE permitiu que mais de 22,900 pessoas tivessem acesso a abrigos transitórios e permanentes e continua a trabalhar com parceiros para encontrar soluções alternativas para aqueles que ainda vivem em condições desesperadoras.

Os efeitos do terremoto foram agravados por desastres subsequentes, incluindo uma epidemia de cólera, furacões e tempestades tropicais e secas. A CARE respondeu fornecendo água, construindo infraestrutura de saneamento, distribuindo abrigos de emergência e suprimentos de higiene e fornecendo vales-alimentação a milhares de famílias afetadas. Como o aumento dos preços dos alimentos, as mudanças climáticas e os desastres forçam as famílias ainda mais na pobreza, o trabalho da CARE continuará a se concentrar na construção da resiliência local nos próximos anos.

As seções a seguir destacam nossa resposta imediata, as transições da programação da CARE no Haiti à medida que o país se recupera e a resposta da CARE a novas vulnerabilidades quando elas surgem.

Relatórios Relacionados

Atualização da crise na Ucrânia: 21 de março de 2023

Com o passar do aniversário do conflito na Ucrânia, duas mulheres ucranianas refletem sobre o ano passado e suas novas vidas na Polônia. Saber mais

Saber mais

Reduzindo o Casamento Infantil, Precoce e Forçado (CEFM): Descobertas de Bangladesh, Benin, Etiópia, Honduras, Mali e Somália

O casamento infantil e suas consequências ao longo da vida refletem e reforçam a discriminação de gênero e idade, inclusive limitando o acesso das meninas à educação. Este resumo explora as várias maneiras pelas quais abordar as causas profundas do casamento precoce levou a benefícios contínuos para a educação, saúde, situação econômica e risco de violência das meninas. Saber mais

Saber mais

Atualização sobre a crise na Ucrânia: 20 de fevereiro de 2023

Um ano após o início da crise, a CARE e nossos parceiros alcançaram quase um milhão de pessoas, com esforços na Ucrânia, Geórgia, Alemanha, Moldávia, Polônia, Romênia e Eslováquia. Saber mais

Saber mais