Combatendo a insegurança alimentar e hídrica - Combater a fome no mundo - CARE

Comida e Água

A fome e a desnutrição continuam sendo as principais ameaças à saúde pública em todo o mundo.

Uma mulher sorri enquanto caminha por um exuberante campo de trigo. Atrás dela está um céu azul brilhante com nuvens brancas.
CARE / FotoDocument / Ana Caroline de Lima

Nossa meta para 2030: 75 milhões de pessoas, a maioria mulheres e meninas, aumentem o cumprimento de seu direito à alimentação, água e nutrição adequadas.

820 milhões de pessoas irão para a cama com fome esta noite, e mais 2 bilhões não sabem de onde virá sua próxima refeição.

Estar com fome impacta tudo na vida dessas pessoas. Quando não conseguem atender a essa necessidade básica, as famílias lutam para encontrar uma saída da pobreza. É mais difícil aproveitar oportunidades econômicas ou se envolver em ações comunitárias. Crianças com fome não vão tão bem na escola - se é que conseguem ir. Os bebês que não recebem a nutrição certa no início da vida podem nunca atingir seu pleno potencial como adultos.

Esses números não são apenas inaceitáveis ​​- globalmente, eles estão piorando. Nos últimos três anos, conflitos e mudanças climáticas aumentaram a insegurança alimentar a cada ano. Os agricultores lutam para cultivar os alimentos de que precisam para cultivar seus próprios alimentos e para vendê-los nos mercados para que outros possam comer. Se não fizermos algo, 1.4 bilhão de pessoas podem passar fome em 2050.

1.4

bilhão

as pessoas podem estar com fome em 2050 se não fizermos algo